Em pronunciamento, Putin diz que ‘quem interferir levará a consequências como nunca antes na história’

Presidente da Rússia afirmou que a responsabilidade da crise atual é da Ucrânia

presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez um pronunciamento ao país após permitir a operação militar na Ucrânia. Segundo ele, “Quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história”.

Putin ainda afirmou que a responsabilidade da atual crise é da Ucrânia. O presidente russo disse que a verdade está do seu lado e seus objetivos serão atingidos.

Ainda de acordo com o chefe do Kremlin, os russos agora precisarão se preparar para alterações no cotidiano, prevendo que os Estados Unidos e seus aliados vão impor sanções mais severas após os ataques desta quinta-feira (24).

O governo da Ucrânia emitiu uma nota informando que pelo 50 pessoas morreram durante os ataques, entre soldados e civis. O presidente Volodymyr Zelensky acionou a lei marcial nesta quinta e pediu que a população não saia de casa.

Entenda o conflito

A tensão entre os dois países é antiga. No fim de 2013, protestos populares fizeram com que o então presidente ucraniano Víktor Yanukóvytch, apoiado por Moscou, renunciasse. Na época, os ucranianos debatiam uma possível adesão à União Europeia.

Em 2014, a Rússia invadiu a Ucrânia e anexou o território da Crimeia, incentivando separatistas pró-Rússia desde então. Em 2015, foram firmados os Acordos de Minsk que decretavam um cessar-fogo, entre outros pontos, e proibiam Moscou de apoiar os rebeldes e Kiev deveria reconhecer Donetsk e Luhansk como províncias autônomas.

Apesar disso, o conflito continuou, o cessar-fogo não foi respeitado e cerca de 10 mil pessoas morreram desde então.

Em novembro de 2021, a Ucrânia se movimentou para fazer parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a aliança militar criada após a Segunda Guerra Mundial. A Rússia se sentiu ameaçada e iniciou exercícios militares na fronteira com o país vizinho, exigindo que a nação nunca se torne um membro.

A tensão se estendeu e, nesta semana, se agravou após o presidente russo reconhecer Donetsk e Luhansk como províncias independentes, causando sanções por parte do Ocidente e a invasão nesta quinta-feira (24).

Fonte:  RedeTV!

%d blogueiros gostam disto: