Julho das Pretas no SUAS apresenta Rede de Proteção à Mulher e debate temas que promovem o empoderamento feminino

Foto: Roberto Fonseca

Julho é delas: as mulheres negras de Alagoinhas, para as quais a Secretaria de Assistência Social (SEMAS) preparou uma programação especial, iniciada quarta-feira ( 06) com a Oficina de Formação Julho das Pretas: Apagamento e Invisibilidade Nunca Mais, tendo por público alvo os Técnicos do SUAS traz como proposta fortalecer a instrumentalidade desses trabalhadores a fim de garantir o desenvolvimento de atividades que resgatem a trajetória e importância das mulheres negras na sociedade, fomentando o protagonismo e emancipação das mulheres assistidas pelo SUAS.
Do dia 11 ao dia 18, a agenda segue com o Julho das Pretas no SUAS: Apagamento e Invisibilidade Nunca Mais . O primeiro equipamento a receber a ação foi o Centro Integrado de Assistência Social – CIAS, com a participação da Procuradoria Especial da Mulher, divulgando os serviços disponibilizados na instituição que tem por missão zelar pelos direitos das mulheres. OS CRAS, CREAS, CRAM e Unidade de Acolhimento Provisório a População em Situação de Rua também receberão a atividade.
A agenda do Julho das Pretas chegará às comunidades quilombolas na próxima semana, levando Oficinas Informativas para as respectivas localidades que terá sua culminância com a Mostra Tereza Vive, que será realizada dia 27 de Julho as 08:30h no CIAS. É importante registrar que a referida campanha foi construída com a participação do Conselho de Mulheres e do Conselho do Desenvolvimento da Comunidade Negra e Afrodescendente de Alagoinhas.

Durante a atividade no CIAS, diversos materiais foram distribuídos às mulheres presentes, como o Estatuto da Igualdade Racial e panfletos com informações que podem salvar vidas, como os números da Rede de Proteção à Mulher (descritos ao final da matéria). Dados relativos aos indicadores de violência doméstica também foram apresentados. Nesse panorama, 80% das mulheres acompanhadas pela Rede é de negras.

Uma vez que a dependência financeira é um dos principais fatores que impedem algumas mulheres de deixarem relacionamentos abusivos, também foi divulgado o Programa Qualifica Alagoinhas, que, periodicamente, oferece oficinas de geração de renda nos CRAS e CIAS.

A Ouvidoria para Elas, que completou 1 ano no início do mês, também foi ponto de pauta. Trata-se de um canal aberto especializado no acolhimento e na escuta das vítimas de violência doméstica. Outro instrumento importante nessa batalha é o aplicativo SOS para Elas, que pode ser acionado pelas mulheres com medidas protetivas, a fim de enviar sua localização por GPS para a Rede de Proteção, caso o agressor chegue perto.

Foto: Roberto Fonseca

Conceitos como empoderamento, coletividade, dororidade , feminismo, territorialidade e afeto serviram como fios condutores das discussões levantadas pela Coordenação de Políticas Públicas para as Mulheres da SEMAS, com o propósito de substituir o sentimento de culpa pela consciência do sistema opressor. Muitos relatos foram compartilhados, relativos aos processos de embraquecimento (quando as negras se sentem coagidas a alisarem seus cabelos para serem aceitas), racismo recreativo dentro das próprias famílias, o envolvimento em relações abusivas devido à baixa autoestima, dentre outros.

“É um momento de fortalecimento e conexão não apenas com as dores em comum, mas também com a possibilidade de construir alternativas para construção ou retomada de projetos de vidas, desenvolvimento da autonomia, assistência, apresentação de informações para conhecimento da rede de proteção local. Essa campanha possibilita trocas que estimulam as mulheres a se reconectarem com a força ancestral e com as políticas local existentes para superação das adversidades que demarcam a vida das mulheres negras””, ressaltou a coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres da SEMAS Jamile Oliveira.

Foto: Roberto Fonseca

Contatos da Rede de Proteção à Mulher

Central de Atendimento à Mulher (CRAM): 75-34224545/998078521 (Whatsapp)

Patrulha Maria da Penha: 75- 99707 1849/34238324

Ministério Público: 75-34222593/34212785

Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM): 75- 34228455/34231434

Defensoria Pública: 75-34228438

Ouvidoria para Elas: 75-999059339

2ª Vara Crime: 75-34238987

Procuradoria da Mulher: 75-31823318

CREAS: 75-31631017

Conselho Tutelar I: 75-34238385

Conselho Tutelar II: 75-34235244

 

Confira a programação ao longo da semana:

  • 12/07

CRAS Riacho da Guia-13:30h

  • 13/07

CRAS Nova Brasília-09h

Unidade de Acolhimento Provisório a População em Situação de Rua-13:30h

CRAM-13:30h

  • 14/07

CRAS Boa União- 08:30h

CREAS- 13:30h

  • 15/07

CRAS Praça do CEU- 13:30h

 

 

%d blogueiros gostam disto: